Área do afiliado
Olá visitante.

Federação Paranaense

O Triathlon começou a ser praticado no Paraná em 1983. O primeiro triatleta do estado foi Adir Romeo, que começou no ciclismo e foi pioneiro ao participar de provas combinadas (natação, ciclismo e corrida) no Rio de Janeiro. O curitibano foi seguido por João Edgoberto Siqueira, e posteriormente pelos “irmãos Abreu” - Roberto (Beto), Leopoldino e Marcelo Abreu - que também representaram o estado em provas de triathlon em São Paulo e Rio de Janeiro.

 

A modalidade começou a se consolidar no estado a partir de 1985. A primeira prova foi organizada pelo Professor João Edgoberto Siqueira em Caiobá, com as distancias 1km natação, 45km ciclismo e 10,5km de corrida. A natação tinha largada em Guaratuba, praia dos pescadores em Caieras, seguia paralelo ao Ferry Boat até a Praia dos namorados, desembocando em Caiobá. O ciclismo largava próximo ao Ferry Boat, uma vez que não existia a Rodovia Alexandra-Matinhos. O percurso contava com uma grande subida, e consequentemente uma grande descida,  pegando a Rodovia em direção a Praia de Leste, depois passando próximo a Shangrilá (em Pontal do Paraná) e retornando até o Balneário de Betaras (Matinhos). As bikes ficavam encostadas em uma parede e depois eram transportadas até Caiobá. A corrida começava no acostamento da Rodovia em direção a Caiobá e o trânsito era controlado, assim como no ciclismo, com chegada era em frente a lanchonete do AUAU em Caiobá. Quase 100 atletas participaram do evento e entre os destaques estava Luiz Iran Guimarães, que mais adiante se tornou um dos principais atletas da região. A prova foi repetida no mesmo formato e distância em 1986. No ano seguinte, em 1987, ocorreu uma prova de revezamento em Curitiba no Clube Morgenau.

 

No final da década de 1980, Domingos Luiz Soares Filho tornou-se um dos grandes fomentadores do Triathlon Paranaense, organizando provas e campeonatos estaduais mesmo sem uma Federação formada oficialmente. As provas eram realizadas em Paranaguá e em Pontal do Paraná. Em 1989 surge o SESC TRIATHLON CAIOBÁ, uma prova inovadora em termos de organização e profissionalismo, que acabou se tornando referência para os triatletas de todo o estado e a nível nacional também. 

1991  surge o Troféu Brasil da NA Produções com circuito de 05 etapas e se torna a grande referência para os paranaenses que participam em grande número ( fretando ônibus e em muitas etapas com mais de 70 atletas).

 

Em 19 de dezembro de 1995 é fundada oficialmente a Federação Paranaense de Triathlon (FPTri). O Triathlon Paranaense atinge um novo patamar, crescendo a passos largos e tornando-se um verdadeiro celeiro de campeões. Vários atletas do estado tornaram-se protagonistas no cenário nacional e mesmo internacional, sendo o mais representativo Juraci Moreira Junior. O curitibano participou de três olimpíadas (Sidney2000, Atenas2004 e Pequim2008), conquistou a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007 e é hexacampeão brasileiro na distância olímpica. A FPTri então passa a ser a Federação com maior número de filiados a CBTri (Confederação Brasileira de Triathlon). 

 

Em meados de 2005, 10 anos após sua fundação, a FPTri teve que fechar suas portas, deixando uma grande dívida. Os atletas acabaram desamparados, sem representatividade a nível nacional, o que levou muitos a pararem e outros a se filiarem em Federações de outros estados para competir. O triathlon paranaense conseguiu uma sobrevida graças a empresa Triativa Eventos, que mesmo com o cenário conturbado, decidiu investir na organização de provas em todo o Estado, inicialmente com provas de Aquathlon e Duathlon, mesmo sem apoio direto de uma Federação. Com isso, a modalidade continuou sendo praticada por centenas de paranaenses, que seguiram lutando pelo desenvolvimento da modalidade na região. O crescimento foi em passos firmes e com estas provas principalmente de Aquathlon foi um dos maiores incentivadores para os atletas que não ficaram desprovidos de provas e a grande maioria partiu para o triathlon sendo que os mesmos continuam participando e motivando mais atletas.

 

Em 2009 um grupo de triatletas e ex-triatletas decidiram reativar a Federação, trabalhando exaustivamente para atrair atletas e técnicos na formação de uma nova chapa para eleição. Após conseguir diversos apoiadores, iniciou-se o processo de documentação da nova diretoria. As finanças da organização seguiram como o principal obstáculo a ser superado, Ana Elisa assumiu como Presidente ficando alguns meses a frente da entidade, e vendo a incompatibilidade de atuar na Federação com sua atividade profissional resolver passar a Federação para o seu Vice Presidente que foi o Cassio Salgueirosa, este também lutou muito em prol da revitaização da Federação, mas também teve que abrir mão da Federação por motivos que a FPTri além das dívidas consumia muito tempo e resolveu deixar a mesma isso tudo  entre os anos de 2010 e 2011, o que acabou atrapalhando a continuidade do novo projeto.

 

Em razão do constante contato com atletas, treinadores e fãs da modalidade por conta da organização de campeonatos, Luiz Iran, então diretor técnico da Triativa Eventos, após apelos de pais que viam seus filhos filiados em outros estados, decidiu se engajar mais na proposta de revitalizar a FPTri e ajudar a regulamentar o triathlon paranaense. Em janeiro de 2012, foi empossada uma nova diretoria, com Luiz Iran Guimarães assumindo a Presidência. A primeira ação planejada foi quitar as dívidas existentes. Com apoio de alguns empresários triatletas, no mês de março a FPTri liquidou suas pendências financeiras e voltou a estar com o nome 100% limpo na praça, estando finalmente pronta para organizar e reestruturar o triathlon paranaense.

 

No início da nova gestão muitos atletas ainda tinham receio de se filiar à FPTri e acreditar nas mudanças propostas, mas graças ao trabalho árduo dos dirigentes e seus colaboradores, os resultados foram aparecendo e aos poucos foi-se reconquistando a confiança, tanto dos praticantes como de empresários, que viraram investidores e parceiros de negócios da entidade e seus eventos. Vale ressaltar que, de acordo com o Estatuto da entidade, a diretoria trabalha de forma voluntária, incluindo o Presidente e o Vice Presidente, não recebendo nenhum tipo de remuneração.

 

Este Trabalho de reestruturação durou até 2015. Quando enfim conseguimos colocar projetos de Lei de Incentivo Federal com Escolinha de Triathlon e Seleção Paranaense.

 

Atualmente a FPTri caminha com as próprias pernas e se mantem como uma Federação voltada a motivação e valorização dos atletas.

 

------------------------------------------------------

 

Faça parte desta história, FILIE-SE!

 

SEDE DA FPTri: Rua Desembargador Motta, 3231, Centro (próximo a Praça 29 de março) - Curitiba (PR). 

Dias e horários de funcionamento: segundas, terças e quintas, das 13h30 às 18h. 

Visite-nos ou entre em contato pelo fone: 041 99804 8555


Escolinha de Triathlon

A Escolinha de Triathlon de Curitiba atende, desde o primeiro semestre deste ano, 50 crianças e adolescentes da rede pública de ensino, que sonham em brilhar na modalidade. Os treinos são realizados durante a semana no colégio da Polícia Militar do Paraná. Os jovens são supervisionados por especialistas em triathlon, além de receberem materiais esportivos necessários a pratica do esporte. Além disso, o ambiente, que promove valores como disciplina, comprometimento e trabalho em equipe, também ajuda à melhorar a qualidade das atividades”, disse Juraci Moreira, atleta com três participações olímpicas e hexacampeão nacional. As aulas foram viabilizadas pela Lei de Incentivo ao Esporte. A execução é da Federação Paranaense de Triathlon.

Mais informações